SISCOS

SISCOS promove mais um momento de integração

25/08/2011 01:33:00
por Assessoria IOV

O mês de agosto esteve repleto de atividades para produtores e consumidores do SISCOS. Além da Feira de Economia Solidária e da vinda de um grupo com 20 produtores do SISCOS para assistirem a peça RUSGA de Cuiabá/MT no dia 12 de agosto durante o IV Festival de Teatro da Amazônia Mato-Grossense, agora chegou a vez dos consumidores conhecerem e compartilharem experiências com os produtores do município de Carlinda. Nem mesmo o friozinho de domingo de manhã foi o suficiente para desanimar os vinte e cinco consumidores do Sistema de Comercialização Solidária em participar de um passeio em algumas propriedades de agricultores familiares que fornecem semanalmente produtos agroecológicos ao sistema. “A iniciativa tem o propósito principal de aproximar o consumidor final com aqueles que são a base do sistema”, diz Aline Nava, organizadora da atividade.

Gostaríamos de mostrar, nesta visita, a importância da integração de atividades para o alcance de uma nova forma de desenvolvimento econômico e social, sem a exploração do meio ambiente, com respeito ao trabalhador rural e sua família e com a geração de renda digna as famílias. Desta forma, o SISCOS se apresenta como algo muito maior do que a simples venda e compra entre produtores e consumidores. É uma multiplicidade de fatores que se relacionam, como o respeito a história e as relações das famílias e comunidades rurais, a necessidade da boa alimentação e geração de renda a partir da diversificação de culturas e de renda, o uso de tecnologias sociais alternativas, como os sistemas agroflorestais a partir da técnica de “muvuca” de sementes, levando a construção da “cara” que o SISCOS possui e que é apresentada aos consumidores. É muito importante que tenhamos momentos como estes, pois geralmente, nos momentos de degustação, não alcançamos a profundidade destas relações e emoções, de forma que aproximemos ainda mais todos os envolvidos no SISCOS, complementa Aline.

A primeira propriedade visitada foi do agricultor José Expedito. Lá os participantes além de ouvirem o histórico de trabalho do agricultor, tiveram a oportunidade de conhecer a horta que fornece grande parte das hortaliças ao SISCOS. Em seu relato, Expedito deixou evidente o quanto o pequeno agricultor familiar não é valorizado pelos governos. “Se a gente não produzir, o que as pessoas vão comer?”, indagou.

No período da tarde, enquanto a digestão do almoço ainda era processada, uma pausa na Casa de Sementes do Setor Nazaré em Carlinda permitiu uma pequena explanação acerca do processo de coleta e armazenamento das sementes que estão sendo utilizadas para o plantio de agroflorestas através do projeto Sementes do Portal, também desenvolvido pelo Instituto Ouro Verde, com apoio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES. Destas agroflorestas utilizadas para recuperação de áreas também saem diversos produtos que são consumidos pelo grupo do Siscos, tais como: abacaxi, mamão, banana, cupuaçu, mandioca, milho entre outros.

Visualizando o caminho das sementes para a formação das agroflorestas, a próxima parada foi na propriedade do agricultor Edemar Schreiber, que há cinco anos vem transformando áreas até então degradadas em excelentes áreas de produção das mais variadas espécies agrícolas e florestais, através da muvuca de sementes. Todos ficaram impressionados e motivados com o crescimento das árvores e reestruturação da floresta, mesmo no período seco.

Finalizando o intercambio, a visita na pequena indústria de doces e licores do senhor José Koch, popularmente conhecido como Macarrão, demonstrou que é possível, de forma simples, agregar conhecimento e matéria-prima para transformar frutas, leite, coco, mel em licores, doces, bolachas... e transformar sonhos em realidade.