SISCOS

SISCOS retoma atividades nesta semana

05/02/2013 00:55:53
por Anderson Luiz Caitano Ribeiro

O SISCOS – Sistema de Comercialização Solidária, depois de um período de recesso de final de ano, retomou nesta segunda-feira, 28 de janeiro, a comercialização de produtos oriundos de agricultores familiares e de empreendimentos urbanos da economia solidária de Alta Floresta e Carlinda.

De acordo com Aline Nava, coordenadora do sistema, o “SISCOS é um empreendimento de economia solidária que objetiva aproximar consumidores e produtores, criando uma rede de serviços que valoriza o comércio justo e solidário e o consumo responsável e que contribui de um lado para o acesso a alimentos e produtos de qualidade e de outro para o aumento de renda das famílias trabalhadoras”.

Semanalmente são ofertados uma variedade superior a cem produtos que podem ser adquiridos de segunda-feira até quinta-feira à meia noite. Os produtos comprados podem ser retirados pelos próprios consumidores na sede do Instituto Ouro Verde, em Alta Floresta, ou na sede paroquial em Carlinda, sempre a partir das 17h.

Aline destaca o novo ponto de entrega em Alta Floresta. “No final de 2012, tivemos um grande avanço. Conseguimos finalizar a construção do novo espaço de entrega dos produtos que fica anexo à sede do Instituto Ouro Verde, localizado no Residencial dos Ipês. Agora temos uma estrutura mais adequada, incluindo por exemplo, bancadas para disposição dos produtos”, destaca.

“Semana passada realizamos uma reunião com alguns fornecedores e consumidores. Muitas atividades estão planejadas para 2013, dentre elas as degustações de novos produtos, intercâmbios, além de mais uma edição da Feira da Economia Solidária. Todas as ações são pautadas levando em consideração a nossa visão de futuro que é de fortalecer o Siscos como um “Sistema alternativo de comercialização direta ao consumidor que respeita o meio ambiente, valoriza o trabalho familiar e articula consumidores e produtores, promovendo a participação e a solidariedade entre as pessoas, contribuindo assim para a melhoria da qualidade de vida de produtores e consumidores, no campo e na cidade”, finaliza.